jogos recopa

Estudo constata que situação do transporte escolar na zona rural oferece risco a estudantes

Maior parte dos veículos são antigos e não têm cinto de segurança para os alunosO transporte escolar rural é precário e faz vítimas no Brasil. A mais recente foi um menino de 11 anos que caiu da carroceria de uma caminhonete que teria perdido o freio. O veículo foi contratado para buscar os alunos que moram em áreas de difícil acesso em Tocantins. Frotas antigas, sem equipamentos de segurança e estradas em péssimas condições põem em risco a vida de estudantes.

Dos sete milhões de alunos que vivem na área rural, 4,8 milhões dependem do transporte escolar, que é de responsabilidade das prefeituras. Desde 2005, a Universidade de Brasília (UnB) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) desenvolvem o Projeto Transporte Escolar Rural, um estudo inédito para avaliar a situação da frota. A constatação é de que os estudantes correm riscos.

? Os veículos são bem antigos, não têm cinto de segurança para os alunos. Na pesquisa, constatamos a inexistência de extintores de incêndio na maioria dos veículos e os que tinham estavam vencidos. Então o transporte está bem precário ? diz a líder do projeto, Patrícia Bassalo.

Enquanto na área urbana uma lei obriga que os transportes coletivos tenham no máximo dez anos de uso, no campo a situação é de descaso. Muitas vezes, os veículos que não servem mais para as cidades são vendidos para as prefeituras que os utilizam no transporte escolar na área rural.  

Segundo o Coordenador de Apoio à Manutenção Escolar FNDE, José Maria Souza, a pesquisa realizada junto à UnB revelou que a idade média da frota de veículos escolares no Brasil é de 16 anos e seis meses.

? Nós temos veículos com 75 anos de idade sendo usados atualmente para o transporte de alunos ? diz Souza.

Para piorar a situação, 28% do transporte é feito com veículos impróprios como motos, bicicletas e até barcos sem motor. Esse percentual de irregularidade sobe para 60% na região Nordeste. Sem conforto e sem segurança os riscos de acidentes e mortes são inevitáveis.

? Via de regra, toda pessoa que é transportada em um veículo que foi feito para transportar carga vai estar em situação de risco ? revela o coordenador.

Como parte do estudo que deve ser concluído em dois anos, o governo federal está padronizando os veículos de transporte escolar para o campo. Eles já começam a sair da fábrica com os equipamentos necessários de segurança e adaptados para evitar o atolamento. O Ministério da Educação pretende, no futuro, encaminhar aos órgãos de trânsito mudanças na lei para que os transportes escolares no campo sejam de fato seguros para os estudantes.

jogos recopa Mapa do site